JOE KITTINGER - VIVER A VIDA AO MÁXIMO

Joe Kittinger é conhecido por muitos por ser a primeira pessoa a saltar da estratosfera terrestre. O que talvez não seja do conhecimento público é a sua perda auditiva induzida por ruído.
Um vida a pilotar aviões de caça, a fazer balonismo e paraquedismo, não deixou de ter momentos de dor para Joe Kittinger. Cedo na sua carreira, sofreu uma pequena lesão na cabeça após ter aterrado um balão a hélio de emergência durante uma tempestade de neve. Uma década mais tarde, quase perdeu a perna devido a uma infeção de uma ferida que não fora tratada, enquanto prisioneiro de guerra no Vietname. Terminados os seus dias militares, partiu o braço quando teve de fazer uma aterragem de emergência numa ilha deserta durante uma corrida de balões. Estes lesões visíveis cicatrizaram com o tempo mas nem todos os problemas de Kittenger tiveram uma resolução rápida. Durante décadas Kittenger tem sofrido de uma das lesões invisíveis mais comuns em soldados: a perda auditiva induzida por ruído. Felizmente, os seus aparelhos auditivos têm-no ajudado afazer uso da sua audição residual.

Um salto gigante
Kittinger é mais conhecido pelo Excelsior III, um projeto de 1960, patrocinado pelas instâncias militares dos E.U.A , onde saltou de um balão a 31 km do solo para testar a eficácia de um resgate a alta altitude. Este projeto perigoso podia assustar até o mais veterano dos saltadores. Felizmente, Kittinger não se assusta facilmente.

"Para mim foi apenas mais um dia de trabalho, " acrescenta. "Estava habituado a trabalhar em ambientes com estresse. Tive que me ocupar do problema que enfrentava e estar preparado."

O que não passou de mais um dia no escritório para Kittinger, ficou para a história como sendo o maior salto de pára-quedas de sempre, um recorde que ainda não tinha sido batido até Outubro do ano passado. Para Kittinger, foi apenas o começo. Passou quase 30 anos na Força Aérea dos Estados Unidos, o que incluiu três comissões no Vietname e 11 meses como prisioneiro de guerra. Em 1984, estabeleceu um novo recorde mundial ao ser a primeira pessoa a atravessar o Oceano Atlântico num voo de balão a solo.
Viver em alto e bom som sem proteção auditiva
A vida foi sempre um aventura para Kittinger - e uma vida bem ruidosa por sinal. No pico da sua carreira ele voou caças durante mais de 20 horas por semana, e sempre sem proteção auditiva.

"Passei 29 anos com os caças na linha de voo e foi isso que danificou a minha audição," diz-nos. "Tratava-se de uma área muito ruidosa e não tínhamos fones de ouvido ou proteção auditiva.";

Aos 45 anos de idade, Kittinger reparou que já não conseguia ouvir os sons mais altos como fazia dantes. Durante muitos anos foi fácil de ignorar. A perda foi piorando durante as duas décadas seguintes, mas ele continuou a sofrer em silêncio. Já tinha 70 anos quando finalmente recebeu o seu primeiro para de aparelhos auditivos.
Foi provavelmente o meu ego a falar. Adiava a questão continuamente até que finalmente já não conseguia funcionar. Quando finalmente obtive os aparelhos auditivos, arrependi-me de não o ter feito anteriormente.
Joe Kittinger
Mantendo o seu andamento
Os aparelhos auditivos de Kittenger permitiram-no continuar a trabalhar bem para lá dos 80 anos de idade. Em 2008, Kittenger decidiu alinhar no Red Bull Stratos, um projeto para testar o desempenho dos pára-quedas de alta altitude e fatos pressurizados que possam ser usados numa evacuação de emergência da estratosfera. Aí trabalhou como mentor para Felix Baumgartner, um paraquedista austríaco de 43 anos que fora escolhido para fazer o salto.

"Eu era a única pessoa que tinha experiência e com quem Felix podia falar, pois era o único que alguma vez o tinha feito," afirma.

A 14 de Outubro de 2012, Felix sentou-se numa cápsula levada por um balão de hélio gigante e começou a sua ascensão rumo à estratosfera. No centro de controle da missão sentava-se Kittinger, que enviou um fluxo contínuo de instruções e encorajamento. Foi um papel que exigiu a Kittinger que estivesse alerta e que pensasse rápido. Acima de tudo, era importante que ele ouvisse tudo o que estava a ser dito.

"Sem os meus aparelhos auditivos, eu não conseguiria funcionar," admite. "Com eles postos, não tive qualquer problema em comunicar."

Agora que está terminado o projeto Red Bull Stratos, seria de pensar que Kittinger, de 84 anos de idade, decidisse abrandar o ritmo. Mas ele ainda não acabou.

Ando à procura de outra aventura. Eu adoro desafios e de trabalhar em programas de investigação,"diz-nos. "Ainda não encontrei a minha próxima aventura, mas ainda estou à procura."

EXPERIMENTE O SOM REALISTA DO WIDEX DREAM

O último a juntar-se às nossas séries de aparelhos auditivos excecionais, o WIDEX DREAM™ veio definir um novo padrão de desempenho para aparelhos auditivos.

Tem questões que queira colocar sobre os nossos produtos ou serviços?

Entre em contacto connosco

Contacte-nos

O nosso Atendimento ao Cliente está preparado para responder às suas questões. 

Ligue**+351 21 355 9308** ou clique abaixo:Contacte-nos

Escolha um país

Widex - Reabilitação Auditiva, Lda

Avenida Duque Ávila 141, 6º

1050-081 Lisboa

Portugal